Objetivo Específico da Aula

- Verificar conceitos sobre risco e retorno, risco sistemático e não sistemático, e diversificação.
- Analisar riscos de investimentos.

Habilidades e Atitudes

1 – Identificar diferentes tipos de risco, tais como: Risco Sistemático e Risco Específico.
2 - Analisar diferentes possibilidades de investimentos.

Caros aluno,

Como abordado na aula anterior, todo o investimento implica uma equação de risco e retorno.

E, ao examinar os riscos associados a ativos individuais (investimentos), descobre-se que há dois tipos de risco:

Risco Sistemático

O Risco Sistemático afeta quase todos os ativos existentes na economia, enquanto o Risco não Sistemático afeta, no máximo, um pequeno grupo de ativos.

O Risco Sistemático inclui eventos inesperados que afetam quase todos os ativos em certa medida, porque os efeitos se difundem por toda a economia.

Ataque das torres gêmeas de 11 de setembro nos Estados Unidos, causando perdas em todos os mercados financeiros do mundo.

Risco não Sistemático ou Específico

O Risco não sistemático inclui eventos inesperados que afetam ativos isolados ou pequenos grupos de ativos. Refere-se aos riscos de cada empresa ou cada cadeia produtiva.

Cálculos dos Retornos

Ao comprar um ativo de qualquer tipo, seu ganho (ou perda) com esse investimento será denominado retorno sobre o investimento.

Caso Enron, em que todos os investidores dessa empresa tiveram perdas, pois ela fraudava seus balanços para obter ganhos no mercado financeiro.

Diversificação

Quando tratamos de diversificação, estamos fazendo uma referência ao ditado muito inteligente que nos ensina: “Nunca colocar todos os ovos em uma única cesta.”

- Nunca investir todos os recursos em um único papel ou em um único tipo de ativos.

- O princípio da diversificação tem uma implicação importante: para um investidor diversificado, somente o risco sistemático importa.

- Parte do risco associado a um investimento arriscado, mas não a totalidade, pode ser eliminada pela diversificação.

- O motivo reside no fato de que os riscos não sistemáticos, que são específicos a ativos individuais, tendem a se cancelar numa carteira ampla, mas o mesmo não acontece com os riscos sistemáticos, que afetam todos os ativos pertencentes a uma carteira.

Retorno esperado

Para melhor entendimento, considere um único período, diga-se, de um ano.

Têm-se duas ações, LL e VV, que possuem as seguintes características:

- Espera-se que a ação LL tenha retorno de 25% no próximo ano.
- A ação VV deve ter retorno de 20% no mesmo período.

- Nessa situação, se todos os investidores concordassem quanto aos retornos esperados, por que alguns desejariam aplicar na ação VV, se seu rendimento esperado é menor?

- Evidentemente, a resposta deve depender dos riscos dos dois investimentos.

- A taxa de retorno de LL, embora tenha um valor esperado de 25%, pode, de fato, acabar sendo mais alta ou mais baixa do que isso.

- Supõe-se que a economia cresça.

- Nesse caso, pressupõe-se que a ação LL terá um retorno de 70%.

- Se a economia tiver recessão, acredita-se que a taxa de retorno será de 20%.

- Nesse caso, diz-se que há dois estados da economia - o que significa duas situações possíveis.

Supõe-se, também, que, na opinião do investidor, o crescimento e a recessão tenham a mesma probabilidade de acontecer, ou seja, 50% para cada uma das situações.

Para a ação VV, espera-se rendimento de 30%, quando há recessão, e 10%, quando há crescimento da economia.



- Fica claro, ao comprar uma das ações, por exemplo, a ação VV, que o que recebe, em um determinado ano, depende do desempenho da economia durante esse ano.

- Entretanto, imagina-se que as probabilidades permaneçam as mesmas com o passar do tempo. Se aplicar em VV por alguns anos, receberá 30% em metade dos períodos e 10% na outra metade.

- Nesse caso, diz-se que o retorno esperado, aplicando na ação VV, é de E(Rvv), é de 20%:

- E(Rvv) = 0,50 x 30% + 0,50 x 10% = 20%

No caso de LL, as probabilidades são as mesmas, mas os retornos possíveis são diferentes.

Aqui se perde 20% em metade dos períodos e ganha se 70% na outra metade. O retorno esperado de LL, E(Rll), é consequentemente igual a 25%:

- E(Rll) = 0,50 x 20% + 0,50 x 70% = 25%



Prêmio de risco

A definição de prêmio por risco é a diferença entre o retorno de um investimento com risco e o retorno de um investimento sem risco.

Utilizando-se dos retornos projetados:
Pode-se calcular o prêmio por risco projetado ou esperado pela diferença entre o retorno esperado de um investimento com risco e o retorno garantido de um investimento livre de risco.

Supõe-se que o ativo sem risco (investimento em títulos do governo, por exemplo) esteja atualmente oferecendo uma taxa de 8%.
Diz-se, então, que a taxa livre de risco, representada por R f, é igual a 8%.
Dado esse fato, qual o prêmio de risco projetado para a ação VV e para a ação LL:

Retorno esperado de VV E(Rvv) = 20%.
Prêmio por risco = Retorno esperado – Taxa livre de risco= E(Rvv) – Rf = 20%-8% = 12%.
Retorno esperado de LL =E(Rll) – taxa livre de risco = 25% - 8% = 17%.


Síntese

Nesta aula, foram apresentados os conceitos de Riscos Sistemáticos e Não Sistemáticos, Diversificação e análise de investimento.

Até a próxima.

Bibliografia

ROSS, Stephen A; WESTERFIELD, Rondolph W; JAFFE, Jeffrey F. Princípios de administração financeira. São Paulo; Atlas, 1998.

ATKINSON Anthony A. et al. Contabilidade Gerencial. São Paulo: Atlas, 2000.

MATARAZZO, Dante C. Análise Financeira de Balanços. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2003.