O MOVIMENTO ART NOUVEAU

 

Seguindo o tempo cronológico, o final do século XIX e início do XX teve uma atmosfera urbana em que predominava a arquitetura e o design Art Nouveau. Entretanto, pode-se perceber que este movimento interessou a todas as categorias dos costumes, que segundo Argan (1996, p. 199) são:

• O urbanismo de bairros inteiros.

• A construção civil em todas as suas tipologias.

• O equipamento, urbano e doméstico.

• A arte figurativa.

• As alfaias.

• O vestuário.

• O ornamento pessoal.

• O espetáculo.

ARTE FIGURATIVA – aquela que possui a representação de figuras, animais ou outros objetos reconhecíveis (também chamada arte representativa).

ALFAIAS – por definição, é qualquer utensílio adequado a uma arte ou ofício; enfeite; jóia; paramento de igreja.



Fig. 12 – Candeeiro, marfim e prata, Bruxelas 1900, de Franz Hoosemans.


Para Argan (1996, p. 199), “o Art Nouveau é um fenômeno novo, imponente, complexo, que deveria satisfazer o que se acredita ser a ‘necessidade de arte’ da comunidade inteira”, considerando-se o ponto de vista sociológico. Não foi à toa que o movimento tinha como lema “a arte pela arte”, despojando a arte de significado social e assumindo um papel de objeto de consumo.

Portanto, é de se presumir que a sociedade industrial, mais especificamente, a burguesia, impulsionou a absorção da produção Art Nouveau que se sustentou na indústria e atingiu diretamente a economia, pois conforme observa Argan (1996, p.199), tornou-se fator de obsolescência e substituição de produtos. Nesse aspecto, podemos dizer que o Art Nouveau se difundiu como um estilo de moda, porque despertou o interesse por um novo tipo de produto e a decadência do velho, fato este, tipicamente, de cunho psicológico.
 
Fig. 13 – Portão de entrada do atelier Elvira, em Munique 1896/97, de August Endel.


Porém a intenção dos artistas era permitir a difusão das novas formas, inspiradas na natureza, também no cerne da classe operária. Entretanto, a qualificação do ornamento na condição de criação artística encarece os produtos. Portanto, o Art Nouveau foi um exemplo do poder da economia capitalista e da produção industrial, repercutindo de forma intensa na sociedade européia.
 
Fig. 14 – Puxadores de porta da casa Wissinger, Bruxelas 1895/96, de Victor Horta.


ORNAMENTO – qualquer elemento ou enfeite de um elemento da construção disposto no edifício com a função essencialmente decorativa.

 

Fig. 15 – Candeeiro decorado vidro soprado com armação em bronze, Zurique 1900 de Emile Gallé.


2
2/3