UNIDADE 3
REFERÊNCIAS
COMO IMPRIMIR
   PSICOLOGIA SOCIAL E A PSICOLOGIA SOCIAL E ORGANIZACIONAL

A atividade humana pode ser compreendida ainda, de acordo com as proposições de Pino (2001 p.21-62). Ela é uma ação social, instrumenta e transformadora, conforme mostra a figura abaixo:

Fig.16 – Características do trabalho como Atividade humana.

A identidade está em constante transformação. É a síntese da totalidade das suas relações sociais.

IDENTIDADE (Análise histórica):

Fig.17 – Elementos que constituem a identidade.

3.2.1 Subjetividade

• Surge para superar dicotomia: objetivo X subjetivo.

• Os fenômenos sociais não são externos ao indivíduo e não são fenômenos que não têm nenhuma relação com o indivíduo. Os fenômenos sociais estão de forma simultânea dentro e fora do indivíduo.

A subjetividade deve ser compreendida como um sistema integrador do interno e do externo (não é uma somatória, é uma transformação). Converte-se em novas dimensões constitutivas do ser subjetivo.

3.2.1.1 Subjetividade individual – a constituição da história de relações sociais do sujeito concreto dentro de um sistema individual.

3.2.1.2 Subjetividade social – é um ponto subjetivo da constituição da sociedade.

Para compreender a subjetividade (agir, pensar, sentir), é preciso conhecer o mundo social ao qual estamos emersos, do qual nós somos construtores. É preciso investigar as formas de relação e de produção de sobrevivência do nosso mundo e as formas de ser de nosso tempo. (BOCK, 2001, p.93)

 

 

 

3.3 – PSICOLOGIA SOCIAL E ORGANIZACIONAL: O PROCESSO GRUPAL

Um outro ponto fundamental, da contribuição da Psicologia Social à Organização, está relacionado ao processo grupal. Desde o momento em que nascemos, somos inseridos em grupos sociais ao qual pertencemos como, por exemplo, a família, a escola, os amigos, os vizinhos, a igreja, o local de trabalho, torcida organizada etc. Nesses grupos, aprendemos a idéia de união, solidariedade etc.

É sobre a constituição dos grupos e sua dinâmica que iremos falar nesse momento. Para isso precisamos compreender o que é o processo grupal: é quando um fenômeno grupal, como o sentimento de solidariedade ou de rejeição a alguém passa a atuar sobre cada um de nós de forma individual e sobre os outros membros do grupo.

Vários psicólogos escreveram sobre a formação e a dinâmica dos grupos, dentre os quais, podemos citar: LEWIN (estrutura e funcionamento dos grupos), MORENO (Psicodrama), BION (olhar psicanalítico), PICHON-RIVIÈRE (Grupo-Operativo). É sobre esse último que iremos aprofundar nossas discussões.

 

4
4/7